domingo, outubro 31, 2004

BRAÇO DIREITO DE PAULO FURTADO GRAVA ÁLBUM A SOLO

Paulo Furtado, que incendiou Coimbra e os Estados Unidos com os Tédio Boys, e que agora mistura rock, soul, blues e gospel nos Wray Gunn, já demonstrou que também se safa bem sozinho, nos dois álbuns a solo do seu alter-ego The Legendary Tiger Man, onde faz por merecer o epíteto de one man band.
Agora, esse conceito vai ser levado ainda mais longe, com a saída do álbum de estreia do novo projecto The Legendary Tiger Limb, que não é mais do que o membro superior direito do músico, que arrisca agora uma carreira em nome próprio.
"Estou muito orgulhoso dele", explicou Furtado, referindo-se ao seu braço. "É perfeitamente justo que o meu nome não apareça neste disco, foi ele que o compôs e tocou na íntegra". E, ao que o IM apurou, o braço não deixou os seus créditos por mãos alheias, tendo tocado todos os instrumentos ouvidos no álbum simultaneamente. Assim, enquanto dá estalinhos com o polegar e o dedo médio, o indicador toca ferrinhos, o anelar toca berimbau e o mínimo toca reco-reco (tendo, para este efeito, deixado crescer a unha). Ao mesmo tempo, o cotovelo crepita de forma ritmada, por conta de uma artrose já antiga.
Tiger Limb confidenciou ao IM, por linguagem gestual, que está muito entusiasmado com este projecto, e desejoso de levá-lo para a estrada. "Não sei é como hei-de me ver livre do gajo", atirou, em tom de brincadeira, apontando para Tiger Man. Este, por sua vez, não poupou elogios ao seu membro superior. "Este gajo vai longe", vaticinou. "Pelo menos, tão longe como o calcanhar esquerdo de John Lee Hooker, os joanetes de Lightnin' Hopkins ou as trompas de falópio de Bessie Smith".
O álbum de estreia de The Legendary Tiger Limb, intitulado "(Fist) Fuck The Band, I've Got The Blues From My Armpitt To My Hand", estará à venda a partir da próxima semana.