sexta-feira, novembro 12, 2004

MÚSICOS DE JAZZ VÃO SER PROIBIDOS DE CONDUZIR

A notícia caiu que nem uma bomba em Fallujah. A proposta de lei foi encontrada por acaso na secretária do ex-líder parlamentar do PP e actual Ministro do Algarve, Torre de Belém e Douro Vinhateiro, Telmo Correia, e será votada na próxima semana.
O IM recorda que no ano passado, segundo dados da Brigada de Trânsito, 90% dos acidentes rodoviários envolveram um músico de jazz. No relatório, este era apresentado como "um indivíduo incapaz de obedecer ao Código da Estrada por mais de 5 minutos sem improvisar". As palavras do Capitão Meireles:
"Eles saiem de Lisboa com destino ao Porto, mas tanto vão aos soluços na auto-estrada do Norte pela faixa da esquerda a tentar saltar o separador central, como decidem conduzir nas estradas nacionais a toda a velocidade, com uma particular tendência para mudarem de direcção no entroncamento seguinte!"
Mário Laginha, presidente da Associação para a Reinserção do Músico de Jazz confidenciou ao IM que este não é o único problema que a classe tem de enfrentar numa sociedade com pouca tolerância para a improvisação. Enquanto a Associação Portuguesa de Bancos recusou um pedido para que o código dos cartões Multibanco tivesse dígitos ilimitados e apenas o primeiro e último fossem verificados pela máquina, o Ministério das Finanças emitiu um comunicado lembrando que as cópias das declarações do IRS têm que ser exactamente iguais aos originais. A associação já pediu pareceres a juristas conceituados para saber se tal imposição não poderá ser considerada um limite à liberdade de expressão, pelo que ainda não tem opinião definitiva sobre este assunto.