quinta-feira, novembro 11, 2004

O QUE ANDAM A OUVIR #3

Maestro Vitorino D'Almeida
António Vitorino D'Almeida, 64 anos
Ocupação: Às vezes senta-se ao piano, toca cenas que ninguém conhece; escreve sobre cenas que ninguém conhece; pega na bengala e anda pela Europa com a Bárbara Guimarães
Conhecido por: Essa cena de andar aí pela Europa com a Bárbara Guimarães; ser pai das outras duas tipas

"Eh pá, isso é um bocado difícil. Sabem aquelas cenas que eu digo que estou sempre a ouvir? Como é para o IM, eu vou dizer a verdade: são uma chatice pegada! Porra, odeio aquilo tudo. Estou farto de ter de aturar aquilo. Na verdade, eu só nasci musicalmente no ano de 1977. Ouvi o primeiro disco dos Clash e fiquei maravilhado. Comecei a ouvir Sex Pistols, Ramones, Buzzcocks, etc. Todas as semanas sintonizava a rádio no John Peel. Ele deu-me a conhecer tanta e tanta música. Fiquei realmente sensibilizado com a sua morte. Hoje em dia caguei para essas merdas, são mesmo básicas. Ouço Black Dice e Lightning Bolt, se bem que estes últimos se comecem a tornar demasiado mainstream e comerciais. Gosto dos Sightings e dos Gang Gang Dance. Para ver estes últimos foi o cabo dos trabalhos. Tive de ir à Galeria Zé dos Bois, em Lisboa, incógnito. Deixei a bengala em casa e levei uma gabardina e uma máscara de gás. Ninguém percebeu, pensaram que eu fosse um fã de Lightning Bolt, ou mesmo o baterista. Naqueles concertos a música é tão esquisita que ninguém repara. Parecem lavagens ao cérebro, mas eu gosto mesmo muito."