terça-feira, dezembro 28, 2004

PETE DOHERTY INTERNADO EM CLÍNICA DE DESINTOXICAÇÃO MUSICAL

O conceituado drogado britânico Pete Doherty deu ontem entrada numa clínica de desintoxicação em Londres com vista a libertar-se do vício da música. Pete não ganhou para o susto, quando na noite passada a sua dependência da música quase o levou a um encore em pleno palco. Os fãs aperceberam-se do sucedido e de imediato provocaram um motim de forma a interromper o espectáculo antes do último tema. Com este imprevisto, o seu dealer já confirmou o cancelamento das datas na Colômbia, Marrocos e Holanda.
A sua brilhante carreira, que ultimamente tem sido prejudicada pelas bandas duras como Libertines e Babyshambles, teve início na sua adolescência em Carnaby Street, onde segundo um dos seus vizinhos "era um miúdo atinado e não pensava em rock". Outro dos seus amigos de então recorda como começou o vício de Doherty: "ele ia ensaiar às escondidas dos pais, dizendo-lhes que ia fumar umas brocas e cheirar umas linhas com a malta." A verdade é que os pais nunca desconfiaram, e sempre procuraram que o seu filho adoptasse um estilo de vida saudável, rodeado de droga de qualidade. O seu pai, lembra resignado o quanto o alertou para os perigos do rock, e as palavras que tantas vezes lhe repetiu "filho, a única forma de morreres com uma overdose de haxixe é cair-te um sabonete de 30 Kg na cabeça".
Recorde-se que Pete Doherty estará entre nós em Agosto, mais concretamente na Zambujeira do Mar, onde será cabeça-de-cartaz numa tenda do Continente para 4 pessoas na zona do campismo do Festival Cannabis Sudoeste. Fonte próxima da organização, adiantou ao Inimigo Musical que Pete terá à sua espera "uma bola, uma baliza e 20 m2 de terreno", pois este foi muito claro nas suas exigências: "deixem-me chutar à vontade". Será que temos um novo Maradona?