sexta-feira, dezembro 24, 2004

SITUAÇÃO POLÍTICA NA CHINA DEPENDENTE DA SAÍDA DO PRÓXIMO ÁLBUM DOS GUNS N' ROSES

É a prova de que o rock pode, de facto, mudar o mundo. O IM teve acesso a declarações surpreendentes, segundo as quais uma mudança de regime na República Popular da China está iminente e, neste momento, apenas dependente da edição do próximo álbum dos Guns n’ Roses.
Segundo Hu Jintao, presidente da grande potência asiática, que encontrámos casualmente num bazar chinês da Avenida Almirante Reis, a situação já se arrasta há algum tempo, desde a liderança de Jiang Zemin.
“O camarada Jiang Zemin era grande fã dos Guns. Lembro-me de como ele costumava divertir os restantes camaradas, nas reuniões do Partido, a fazer headbanging ao som do ‘Paradise City’. Aliás, até houve uma altura em que ele quis deixar crescer o cabelo como o Axl. Mas depois desistiu, porque estava a ficar igualzinho à Yoko Ono”.
Há alguns anos, o ex-presidente chinês terá ficado muito entusiasmado com o anúncio da gravação de um novo álbum da banda, e quando soube que o disco se iria chamar “Chinese Democracy”, terá decidido que a melhor forma de prestar homenagem aos seu ídolos seria transformar efectivamente a China numa democracia.
Ao que parece, não é a primeira vez que os Guns n’ Roses influenciam de forma decisiva o curso dos acontecimentos no gigante da Ásia. Os trágicos acontecimentos de 1999, na Praça Tian'an Men, de acordo com Jintao, coincidiram com uma altura em que “o camarada só ouvia o ‘Appetite for Destruction’.”
Entretanto, a transição para um regime democrático, assim como todas as infraestruturas necessárias para a realização de eleições livres, já está a postos há vários anos. “Só estamos à espera que saia o álbum, para isto ser mesmo uma coisa em grande”.
Questionado acerca da hipótese cada vez mais provável de o novo álbum dos Guns n’ Roses não chegar a ver a luz do dia, e das consequências que essa hipótese poderá ter no futuro da China, Hu Jintao foi peremptório.
“O camarada Jiang fez-me jurar sobre uma cópia autografada do ‘Use Your Illusion II’ que seguiria as suas orientações e que só avançaria com isto quando saísse o disco, embora a minha vontade fosse outra”. É que, segundo nos confidenciou, “eu sempre achei que a alma dos Guns era o Slash. E o disco dos Velvet Revolver rocka a valer”.