terça-feira, fevereiro 01, 2005

JACK JOHNSON EM PORTUGAL

Jack Johnson, o eterno trovador, vem a Portugal. Ex-surfista, havaiano, encanta todos com as suas canções. Música espiritual, para pessoas espirituosas que gostam de bebidas espirituosas. O cantar dos pássaros da natureza. Algo entre o Havai e o Tibete. Apesar de os seus discos não terem distribuição em Portugal, o fenómeno foi espalhado por Ben Harper, outro eterno trovador, e toda a gente o ouve. É a voz de uma geração. Uma geração que sabe, que percebe, que acima de tudo sente. O IM foi falar com os fãs para ver o que estes pensam desta notícia:

"Vamos. Estamos estacionados em frente à praia. Vamos cantar Jack Johnson, enquanto o ouvimos. Agarra-te um pouco mais a mim. É o pôr-do-sol. O pôr-do-sol é tão bonito aqui perto de Cascais. Vá, mais perto, querida. Tu tens 12 anos, eu tenho 25, a nossa roupa da GAP tão bela. Já disse o quão belo é o pôr-do-sol aqui em Cascais? Vamos fugir para o Algarve. Bebemos daiquiris. O Havai é fixe. Eu sou surfista, tu és a minha musa." - Salvador, 25 anos

"O Jack vem a Portugal? Ele é tão giro! Tão bonito! Tão lindo! Só o meu António é que lhe chega aos calcanhares! É um garanhão! As músicas dele são tão bonitas. O meu António também é surfista, por isso ele fala de coisas que eu percebo, 'tás a ver? Lá no colégio as minhas amigas todas gostam dele, ele é um bocado alternativo. Mas na discoteca não o passam. Não faz mal, passam aquela do 'Move your body, girl'. É mesmo querida, essa." - Filipa, 12 anos

"Eu e a minha namorada gostamos muito do Jack Johnson, ele faz canções muito bonitas. Há muita gente que não o conhece e compreende, mas nós somos iluminados e gostamos muito dele, porque a música alternativa é muito boa. Às vezes temos discussões sobre qual é melhor, se o Ben Harper, se o Jack Johnson, não sabemos. É como nos perguntarem se gostamos mais da mamã ou do papá. Sei que gosto muito das canções do Jack Johnson e vou adorar o concerto. Estou a guardar a minha melhor camisa para isso. Vou com ela e ela vai comigo, vai ser tão bom. Só espero que não acabemos entretanto, já ando com ela há tanto tempo, estamos quase a fazer 2 semanas!" - Francisco, 19 anos

"Bué de fixe! O Pedro já me tinha dito que se calhar ele vinha cá! É bué de alternativo e bué de fixe! Gosto mesmo dele, acho-o um queriducho. Bué de fixe! Estava ontem no Nuts e pensei mesmo que era tão bom que ele viesse cá!" - Sofia, 16 anos

"Eia, méne! Alta curtição! Foda-se! Faz lá essa, meu! O Jack Johnson é bué de curtido e assim! Bué de fixe, mesmo! Foda-se! Gosto mesmo, mesmo dele! Hoje o mar está flat! Mas quando o mar está flat é fixe ouvir o gajo, ele é mesmo muito bom! É a ligação com a Natureza, estás a ver? É como estar a olhar a Natureza olhos nos olhos. Alta cena, meu!" - Zé Tó, 20 anos

"É a ligação com as coisas orgânicas, percebes? É uma coisa muito bonita. Com quando os pássaros começam a cantar. É daí que vem a música dele, do coração. E ele tem o dom de nos tocar a todos. Toca-nos mesmo aqui no coração. Ontem estava no Chapitô, vou lá imenso, e estávamos a conversar sobre ele. Sabes que ele antes era surfista? Era muito bom que ele cá viesse. Custe o que custar, vou estar lá com os meus amigos no Coliseu. É a música do amor e da amizade. Jack Johnson é o meu sol." - Sandra, 22 anos

Estes testemunhos foram recolhidos no Restelo, em Cascais, em Entrecampos, em certas zonas de Miraflores e Carnaxide, na Lapa e nos Olivais.