domingo, maio 01, 2005

OBITUÁRIO DE KENNY G

Por um momento, um breve momento, vou deixar a objectividade jornalística a que este órgão de informação não obriga mesmo nada. Vou falar da minha experiência pessoal, de algo que Jeff Tweedy dos Wilco um dia cantou. Em "Ashes of American Flags", de Yankee Hotel Foxtrot, cantava-se All my lies are only wishes. E é isto que é esta notícia-obituário, um desejo que eu não gostava que fosse mentira.
Kenny G foi encontrado morto hoje na sua mansão nos subúrbios de Seattle, Washington.
Pouco ou nada se sabe sobre a forma como faleceu, existem várias versões, todas elas contraditórias. Fontes próximas de G - nunca seus amigos, pois G nunca teve amigos - dizem que o saxofonista morreu de ataque cardíaco enquanto falava ao telefone com Vangelis, um dos seus músicos favoritos. A sua empregada apressa-se a contrariar, dizendo que G foi espancado até à morte com o seu próprio saxofone por alguém que tinha de andar de elevador todos os dias e estava farto do "músico".
Kenny G, cujo nome verdadeiro é Kenneth Gorelick, começou a irritar pessoas na Love Unlimited Orchestra de Barry White. Contabilista formado pela Universidade de Washington, embarcou numa carreira a solo em 1981 pela Arista Records. Foi nessa altura que começou a ser odiado por mais e mais gente. A fórmula dele é simples, pegar em temas que por vezes até podem ter piada ao princípio e sugar-lhes a alma toda, transformando-os em música para yuppies sem sentimento, elevadores e/ou para consultórios de dentistas, tudo isto com a ajuda do seu fiel saxofone soprano. Nunca tocou grande coisa, mas isso não o impediu de vender discos e lançar uma média de 2,5 discos de natal por segundo nos últimos 20 anos.
Odiado por quase toda a gente com um cérebro que vive no mundo inteiro - hoje em isso não engloba muita gente - um dos seus maiores crimes foi ter pegado num tema de Louis Armstrong, "What a Wonderful World", e tê-lo transformado no equivalente a uma banda-sonora de um filme cujo protagonista é um Richard Gere de terceira categoria. Sendo que o Richard Gere já é originalmente de terceira categoria, façam as contas. Podemos argumentar que "What a Wonderful World" é um dos temas mais irritantes de sempre - e é - mas o Kenny G levou aquilo tudo a um outro nível completamente diferente.
O funeral de Kenny G realizar-se-á em Washington, convidar-se-á George W. Bush e todo o seu governo, bem como grandes figuras da música. Michael Bolton, Whitney Houston, Céline Dion, entre muitas outras, marcarão presença naquele que será o alvo mais apetecido dos bombistas nos últimos tempos. Logo depois todo o mundo sorrirá e fará uma festa.
Kenny G morreu, que Deus não dê paz à sua alma, já que ele próprio também não deu paz aos nossos ouvidos.