quarta-feira, agosto 31, 2005

EDITORIAL

Tinha um colega de Liceu que tinha uma grande cabeça. E quando digo que tinha uma grande cabeça não me refiro ao intelecto, mas sim ao tamanho do seu crânio. Era muito grande. Chamavam-lhe o “Cabeçudo”. Uma vez estava a conversar com o Cabeçudo enquanto fumava um dos meus primeiros cigarros nas traseiras da cantina do Liceu, e ele perguntou-me, “Já ouviste Television?”, e eu respondi, “Não. Porquê?”, e ele disse, “É fixe.”. Não tornei a ouvir falar de Television desde então, nem do Cabeçudo, porque ele nunca foi um homem da noite e acabei por perder o seu contacto. Mas a semana passada, estava numa discoteca em Montechoro a ver a luz do strobe a banhar os corpos ululantes e a batida a acelerar o meu pulso, quando um outro amigo meu se chegou a mim e dsse, “Já ouviste Television?”. A vida tem destas coincidências. E de certeza que os Television são uma grande banda. Ele disse-me que iam tocar no Coliseu e queria saber se arranjava convites. Troquei um gin tónico pela benesse com a consciência que o estava a introduzir a uma grande banda. Porque os Television são grandes. E porque eu sou assim, gosto de introduzir as pessoas à grande música. E sei que o concerto dos Television vai ser marcante, único. Como o dos Radiohead, outra banda com nome de aparelho captor de transmissões. Os meus amigos já me falaram muito de Radiohead. O Cabeçudo não. Onde estás tu, Cabeçudo? E será que também vais ver Television?

Vemo-nos por aí na noite (e nos Television),
Robinho, o novo editor do Inimigo Musical