quarta-feira, outubro 05, 2005

JOSÉ CID CONFUNDE RTP MEMÓRIA COM A SUA CARREIRA AINDA ESTAR VIVA

José Cid, o conhecido músico português, estava a fazer zapping na sua mansão em Mongofores, quando assistiu à milésima repetição do Festival RTP da Canção de 1980 na RTP Memória. O seu mordomo contou ao IM que "O patrão ia tendo um ataque cardíaco! Telefonou logo à mulher dele, aquela que mora no Porto, e disse-lhe que o Júlio Isidro finalmente lhe tinha feito uma daquelas homenagens!"
Mas, na realidade, não era bem assim. Em declarações ao IM, Júlio Isidro comentou: "Como não fui eu que descobri o gajo, não vou estar a homenageá-lo. Reservo isso para grandes nomes portugueses como a Rosa Lobato de Faria ou qualquer pessoa que possa ter a Dina como convidada." O equívoco foi desfeito quando José Cid viu o programa Com a Verdade M'Enganas e telefonou à mulher a dizer: "O Herman voltou a ter piada!" A mulher apressou-se a dizer-lhe: "Claro que não, ainda no outro dia vi o Herman SIC e não me ri. Tens a certeza de que não estás a ver a RTP Memória?"
Em declarações ao IM, José Cid classificou o sucedido como um "acontecimento trágico", tendo mesmo dito: "Alguém devia homenagear-me, eu inventei o rock'n'roll português e fui a primeira pessoa a cantar bossanova em português. 'Um Grande, Grande Amor' foi um dos meus melhores momentos! Também é trágico eu não aparecer num programa da manhã há 2 anos."
José Cid foi membro fundador do Quarteto 1111, dos Green Windows, amigo pessoal de Tó Zé Brito antes deste se virar para o golfe, põe o pai da Julie Sargeant a tocar em bailes da terreola e usou um blusão e uma t-shirt, ambos a dizerem "CID" quanto actuou no Festival da Canção de 1980. Fez um disco que é considerado dos melhores do rock progressivo de sempre, mas não passa de uma versão ainda mais foleira dos Yes e tem a mania que ainda é importante. Também usou a palavra "orgia" no refrão de um dos seus temas mais conhecidos - "Romântico mas não Trôpego" -, demonstrando que é um pervertido do caraças.